Menu

infecção respiratória

19/08/2018 - Doenças
infecção respiratória

O que é Infecção respiratória induzida por vírus

Vírus da Gripe ou Infecção respiratória induzida por vírus é a mais freqüente síndrome infecciosa do ser humano e uma importante causa de morbidade e mortalidade, principalmente em idosos e em indivíduos com patologia pulmonar prévia. É favorecida pela baixa temperatura e baixa umidade, razão por que torna-se comum nesta época do ano, em Brasília.

Infecção respiratória

O rinovírus é o vírus mais freqüente da síndrome de resfriado comum (40% dos casos). Vem seguido pelo coronariopatias(10%) e pelos vírus parainfluenza, vírus sincicial respiratório, vírus da influenza e o adenovírus. Esses últimos juntos são responsáveis por 10% a 15% das infecções. Outros vírus, ainda não identificados, respondem por 20% a 30% dos casos. O rinovírus (resfriado comum) lesa principalmente as vias respiratórias superiores, levando a coriza e obstrução nasal. O vírus da influenza (gripe), no entanto, além de causar doença nas vias aéreas superiores, comumente invade as vias respiratórias inferiores e algumas vezes o parênquima pulmonar.

A síndrome clínica decorrente da invasão por esse vírus compreende sintomas gerais, tais como febre, prostração, dor muscular e cefaleia. A febre geralmente é alta e pode persistir do primeiro ao quinto dia. Os sintomas sistêmicos predominam nos primeiros dias, enquanto que os sintomas respiratórios, principalmente a tosse, predominam no fim da primeira semana. A terapia antiviral da Infecção Respiratória específica para o vírus influenza costuma ser efetiva, mas tem custo elevado e deve ser administrada precocemente durante o período da replicação viral, ou seja, nas primeiras 36 horas. As infecções virais alteram a colonização bacteriana, aumentando a adesão da bactéria ao epitélio, reduzindo a capacidade de trabalho do tapete muco ciliar e diminuindo a capacidade de fagocitose dos vigilantes macrófagos e polimorfonucleares.

Permitem então que bactérias residentes invadam os tecidos estéreis, tais como os seios paranasais, o ouvido médio e o trato respiratório inferior, resultando em infecção secundária. O risco de pneumonia tem se tornado mais alto seguindo infecção pelo vírus influenza. Esses fatores são determinantes na exacerbação das doenças pulmonares obstrutivas crônicas (bronquite crônica e enfisema).

Veja aqui tudo sobre Anemia

Infecções por vírus respondem, também, por 86% das exacerbações de asma em crianças e 50% em adultos. Os mecanismos de indução de asma incluem: lesão do epitélio, redução das respostas dos beta-receptores, produção de citocinas e cianinas, estimulação dos anticorpos IgE vírus específicos e respiração bucal. A respiração bucal impede a umidificação e aquecimento do ar pela cavidade nasal. O ar frio e a baixa umidade favorecem o aumento da reatividade brônquica que pode perdurar por até seis semanas. A Clínica do Tórax do Hospital Santa Lúcia dispõe de moderno equipamento de realização de provas de função pulmonar e pode quantificar a obstrução resultante da hiper responsividade brônquica.

Quais são Sintomas de pneumonia

Buscando saber mais sobre os sintomas de pneumonia? Faz bem, pois essa doença é séria e pode levar até à morte, sabia? Se você, sabendo disso ou não, se preocupou em se informar um pouco mais sobre a pneumonia, saiba que separamos diversas informações neste artigo que poderão ser de seu interesse. Ficou entusiasmado em lê-las? Então não deixe de acompanhar o texto até o final, lembrando-se de que qualquer dúvida deverá ser tirada com o seu médico, certo? Com saúde e, ainda mais com pneumonia, não se brinca não!

Sintomas de pneumonia
Antes de qualquer coisa, vale a pena recordar um pouquinho mais sobre a pneumonia. Esta, para quem não se lembra das aulas de biologia do colégio, é uma doença caracterizada como uma infecção no pulmão, mais especificamente, dos tecidos pulmonares e de seus respectivos alvéolos. Sendo assim, podemos agora definir alguns sintomas de pneumonia que poderão de uma maneira ou outra, ajudar você a se prevenir contra as fases mais agudas da doença, pois ao conhecer os sintomas você poderá correr ao médico com mais rapidez, certo?

Sintomas de pneumonia mais comuns

Os sintomas de pneumonia mais comuns são, por exemplo, a febre, quadros de intensos calafrios associados à períodos de falta de ar e muita dor no peito; além disso podemos citar a tosse com catarro; os vômitos; a perda do apetite e muita, mas muitas dores pelo corpo inteiro, tal como aquela sensação que nos ocorre no inicio de uma gripe brava, sabe?

Vale lembrar que os pacientes mais velhos devem ser encaminhados ao médico em qualquer suspeita de pneumonia, pois nestes os sintomas podem se dar de maneira mas aliviada, ocultando a febre, por exemplo, e os quadros de tosse aguda. Sendo assim, é necessário que se encaminhe o idoso até o consultório mais perto para devida orientação médica. Não se esquecendo de que os sintomas mais comuns apresentados por este durante um quadro de pneumonia são os de origem mental, tais como as confusões mentais e alterações de outro tipo.

Quando ao tratamento da pneumonia, este poderá ser feito com antibióticos e outras drogas, dependendo do caso em que você estará inserido, se a sua pneumonia foi de origem bacteriana ou não, por exemplo. Para se curar é necessário, sem dúvidas, ir até o hospital e receber orientações precisas. Nada de se médica por conta própria, pois como já dissemos, a pneumonia pode leva até à morte. Se cuide!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *