Bupropiona

Bupropiona

Bupropiona pra que serve

A bupropiona, ou cloridrato de bupropiona, é um medicamento que foi utilizado primeiramente como antidepressivo e que, posteriormente, encontrou novos usos, como o tratamento do tabagismo.

Foi sintetizada em 1966 e aprovada pelo FDA para uso no tratamento da depressão em 1985. Em um pequeno estudo feito em seguida, uma alta taxa de pacientes apresentou convulsões com o uso da droga. Assim, o fabricante adiou o lançamento, até que um estudo bem maior mostrou que o risco de convulsões com o medicamento era semelhante ao de outros antidepressivos. Assim, finalmente a bupropiona foi colocada no mercado, nos Estados Unidos, em 1989.

Para que serve a Bupropiona?

É utilizada especialmente para o tratamento da depressão e do tabagismo. Estas são suas principais indicações.

Na depressão e para parar de fumar

Na depressão, a bupropiona é utilizada tanto na fase aguda quanto na prevenção de recaídas. Clique aqui e veja um artigo sobre recaídas no ato de parar de fumar.

Bupropiona também é utilizada para aqueles fumantes que desejam parar de fumar, porém de maneira diferente da utilizada no tratamento da depressão.

O tratamento da depressão é mais prolongado (e, no caso de depressão recorrente, às vezes o paciente precisa utilizar o remédio por anos ou até pelo resto da vida). Já o paciente que quer largar o cigarro geralmente precisará utilizar a bupropiona por apenas algumas semanas.

As doses também poderão variar, a depender do objetivo.

Bupropiona na ansiedade

Na prática psiquiátrica, a bupropiona também é utilizada no tratamento de alguns transtornos de ansiedade. A desvantagem do uso de antidepressivos no tratamento da ansiedade, em comparação aos ansiolíticos benzodiazepínicos (tipo Rivotril) é que demoram mais a fazer efeito (dias). Porém, ao contrário dos “calmantes”, com os antidepressivos não há risco de dependência.

A grande vantagem da bupropiona sobre alguns de seus concorrentes, como a fluoxetina, é que é muito baixa a taxa de efeitos colaterais sexuais, como a impotência. Frequentemente a bupropiona é utilizada em substituição a algum outro antidepressivo, quando o paciente se queixa ao psiquiatra que não está mais conseguindo ter ereções satisfatórias.

Bupropiona e TDAH

No transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, a bupropiona mostrou resultado em alguns pacientes, segundo alguns estudos. Entretanto, não é medicação de primeira escolha, pois há outras mais eficazes (como o metilfenidato).

Bupropiona Bula

Bupropiona BULA

A bula da bupropiona é bastante extensa, como qualquer bula, por isto colocaremos aqui apenas os links para as bulas disponíveis online:
* bula do Wellbutrin SR 150 mg.
* bula do Zyban 150 mg.

Mecanismo de Ação

A bupropiona age no cérebro. Seu principal mecanismo de ação, segundo os estudos de psicofarmacologia da droga, é a inibição da destruição da noradrenalina e da dopamina, aumentando, assim, a disponibilidade destes neurotransmissores para os neurônios.
A queda da noradrenalina está relacionada a alguns tipos de depressão e alguns transtornos de ansiedade. A bupropiona, provocando o aumento deste neurotransmissor, faria então com que o indivíduo se sentisse mais motivado, com mais energia.

Já a dopamina está relacionada com a sensação de prazer. As pessoas com depressão frequentemente se queixam de que não sentem mais a mesma alegria com as atividades que antes lhe eram prazerosas.

A dopamina, por consequência, também está envolvida nos chamados “mecanismos de recompensa”, presentes na formação das dependências químicas, como a do cigarro. Assim, a bupropiona, aumentando a dopamina, diminuiria a necessidade do indivíduo de fumar.

Cabe dizer que os mecanismos de ação dos antidepressivos ainda não foram plenamente esclarecidos.

Contra Indicações

Como qualquer medicamento, é contra-indicada para pacientes que tenham um histórico de reação alérgica à substância.
Também possui suas contra-indicações específicas, sendo estas principalmente para os pacientes com os seguintes diagnósticos, prévios ou atuais:

– epilepsia (convulsões);

– anorexia nervosa;

– bulimia nervosa.

Estas contra indicações se fazem necessárias porque, nestes pacientes, a bupropiona aumentaria o risco de convulsão.

A bupropiona, como quase todo medicamento, tem uma posologia ideal, indicada na bula. Mas, na prática, a dosagem acaba sendo personalizada pelo médico para cada caso, a depender de fatores como a idade e o peso do paciente, além da presença de outras doenças, como do fígado ou dos rins, pois todas estas situações podem afetar a disponibilidade da medicação no organismo.

Posologia da bupropiona na depressão

No tratamento da depressão, geralmente a dose prescrita é de 150 miligramas por dia. Às vezes, em depressões mais graves, chega a 300 mg de bupropiona por dia.

Não deve ser ultrapassada a dose de 150 mg a cada tomada. Também não são recomendadas doses diárias maiores que 300 mg por dia.

Como a bupropiona pode causar insônia (principalmente nos primeiros dias de uso), o recomendado é que seja tomada pela manhã e, se necessário duas tomadas diárias, que a segunda seja ao final da tarde.

O tratamento de um primeiro episódio de depressão comumente não dura menos de seis meses. Sendo o segundo episódio ou além, pode durar mais de um ano, ou até a vida inteira.

Posologia da Bupropiona no Tabagismo

No tratamento da dependência da nicotina, a posologia dela é diferente: 150 mg nos três primeiros dias (para o organismo “sentir” e “se adaptar” ao medicamento) e, posteriormente, 300 mg por dia.

Habitualmente, o tratamento dura 12 semanas. Mas se até a sétima o paciente não conseguiu obter nem uma diminuição do consumo de cigarros, é improvável que vá conseguir, e recomenda-se que a administração dela seja interrompida aí.

Havendo chance significativa de recaída no tabagismo, o médico pode decidir manter o tratamento por até um ano, a fim de garantir que o paciente consiga mesmo parar de fumar.

Não é recomendado o uso concomitante dela e adesivos de nicotina, mas pode ser feito, desde que exista um controle adequado da pressão arterial, que pode aumentar.

Bupropiona Efeitos Colaterais

Bupropiona Efeitos Colaterais

Listaremos os efeitos colaterais mais frequentes da bupropiona:

Efeitos colaterais muito comuns

Acontecem em mais de 10% dos usuários:
– insônia
– cefaléia (“dor de cabeça”)
– boca seca
– náuseas e vômitos

Efeitos colaterais comuns

Atingem 1 a 10% dos que tomam o medicamento:

– urticária
– sudoreses
– anorexia (“perda do apetite”, levando à perda de peso)
– agitação, ansiedade ou depressão
– dificuldades de concentração
– tremor
– vertigem
– tinido (“zumbido”)
– alterações no paladar
– distúrbios na visão
– dor abdominal
– obstipação (“intestino preso”)

Como quase todo medicamento, a ela possui uma lista de extensa de efeitos colaterais, especialmente se listarmos também os mais raros.

Entretanto, também como qualquer remédio, os efeitos colaterais geralmente são leves e passageiros. Porém, se forem intensos ou duradouros, o paciente deve entrar em contato com o médico que prescreveu o medicamento.

É um erro fazer qualquer alteração na posologia por conta própria, especialmente suspender o medicamento. Se não for possível o contato com o médico que prescreveu o remédio, consulte-se com outro. O médico é que deve realizar modificações na posologia.

Lembrando, por fim, que a prescrição da bupropiona deve ser feita por um médico, e que o paciente deve tomar o medicamento exatamente da maneira que o profissional orientar. Uma das causas mais frequentes de fracasso dos tratamentos é o não seguimento adequado da posologia indicada pelo médico.

Author: marozo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *